Ecologia
Morfologia
Famílias existentes
Espécies
 

Visitar

Parque Natural

 

   
 

 

ARANHAS do Parque Natural da Arrábida   

por Pedro Cardoso, ICN/PNA - 1999

Introdução

As aranhas (ordem Araneae) constituem um grupo de invertebrados predadores com cerca de 35.000 espécies conhecidas em todo o Mundo e 500 no nosso país. Estes números, aparentemente elevados, deverão estar ainda longe dos reais, pois a aracnologia carece de investigação mais alargada, tanto no nosso país como no Mundo, nomeadamente em zonas remotas como as florestas tropicais. Elas ocorrem em todos os habitats de todos os continentes, excepto no Antárctico, sendo sempre predadores de vários grupos animais, principalmente insectos.

O grupo dos aracnídeos é especialmente importante pois, como acontece com os vertebrados predadores, também eles se encontram no topo da cadeia alimentar, constituindo bio-indicadores por excelência. Sendo as aranhas predadores, as alterações que ocorram no ambiente e, consequentemente, nas plantas e insectos que destas se alimentam, vão-se reflectir nas espécies de aranhas existentes e respectivas abundâncias. Em relação aos vertebrados predadores, apresentam as vantagens de o número de espécies e indivíduos ser sempre bastante superior e de o seu território ou área de acção serem bastante menores, de forma que permitem uma maior precisão na determinação do estado ambientar de determinadas áreas.

Sendo temidas devido ao seu veneno, muito poucas espécies podem ser acusadas de ter causado a morte de seres humanos. Na zona da Arrábida apenas se encontram algumas espécies que poderão, se levadas a isso, causar febres ligeiras e morte de tecidos em volta da zona afectada. Um exemplo serão as várias espécies de Cheiracanthium.

O Parque Natural da Arrábida possui um elevado número de habitats que vão desde zonas urbanas, até áreas em estado praticamente inalterado, como acontece nas manchas de mata mediterrânea. Este grande número de habitats causa uma igual variedade de todos os grupos animais, incluindo os arancídeos como o atestam as 30 famílias e quase 100 espécies identificadas na área, incluindo várias espécies únicas para o nosso país.


 

   

Realizado por Bernardo Costa Ramos  - www.azeitao.net - © Todos os direitos reservados

 

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 PUBLICITE neste site!

Este site foi compilado com optimização para uso com o Internet Explorer 4 ou superior. Embora funcione noutros browsers (por exemplo, Netscape), muitas das funções não terão pleno funcionamento, podendo igualmente existir configurações distorcidas.

 :: © 1999/2007 - Bernardo Costa Ramos  :: www.azeitao.net  ::  Azeitão, uma região a descobrir! ™ ::

Visite ainda: www.saboresdeazeitao.com  ::  www.bacalhoa.eu :: www.troiaresort.com

Declaração de exoneração de responsabilidade :: Sobre o sítio/site www.azeitao.net